29.12.09

Estrela quase impossível


Amor infinito vindo da alma
Estrela quase impossível de ser realidade
União do cravo com a rosa mais bela resultou no bebe mais lindo e desejado
Razão do meu existir
Deu um sentido a minha vida
Tornou meus sonhos realidade
Seu rostinho na tela refletido,
Fascina, ilumina e enche nossos corações de alegria
Seus "pinotes" na barriga da mamãe
Enche minha alma de alegria
Transforma meus dias em pura poesia
Teu coraçãozinho batendo:
Som suave que enche meu coração de vida
Suaviza meu medo
Me reenergiza para mais um dia de luta
É toda minha felicidade
Razão do amor que existe dentro do meu coração
Para sempre te amarei
Para ti infinitamente
Miguel, meu filho!

16.12.09

Os 6 meses,contagem da gravidez e registros fotográficos

A barriga e o Miguel crescendo...

Lá se foram (ou não) os 6 primeiros meses de gestação. A dúvida é a seguinte: estou ou não no 7º mês? Sim, porque essa contagem em semanas confunde a cabeça de todas as grávidas e principalmente as das não grávidas. Vamos aos esclarecimentos:

A gravidez é contada a partir da DUM (data da ultima menstruação), a minha no caso foi : 02/06/2009. Essa data passa a ser um marco para a idade gestacional. Porém é óbvio que no período entre o início do ciclo menstrual e a fecundação (supostamente ocorrida 14 dias depois do início do ciclo menstrual) não há ainda a gravidez. Trata-se de um marcador impreciso, mas o "único" disponível. Mas então, tendo isto como indicador, a gestação é definida como o tempo transcorrido entre o primeiro dia da última menstruação (DUM) e a data atual, medido em semanas e dias - eu estou com 28 semanas e 03 dias, no caso. Ocorre que quando a grávida é perguntada (todo dia e toda hora,diga-se de passagem): "vc tá de quantos meses?", ela não pode responder : "tantas semanas"... né?.
Transformando as semanas em meses:

Há muitas contagens, mas o certo é que a gestação, de acordo com a DUM, dura em média 280 dias ou 40 semanas. Porém o tempo de gestação varia de acordo com as caracteristicas da mãe,do feto também e da questão da "margem de erro" que é calculada pela DUM e pelas ultrassonografias - que se feita precocemente assegura com mais confiança o tempo gestacional.
Há muitas formas pra calcular e de acordo a contagem abaixo, eu estou com 7 meses, vejamos:

de 1 a 4 semanas e meia = 1 mês de gravidez
de 4 semanas e meia a 9 semanas = 2 meses de gravidez
de 9 semanas a 13 semanas e 2 dias = 3 meses de gravide
de 13 semanas e dois dias a 17 semanas e 5 dias = 4 meses de gravide
de 17 semanas e 5 dias a 22 semanas e 1 dias = 5 meses de gravidez
de 22 semanas e 1 dia a 26 semanas e 4 dias = 6 meses de gravidez
de 26 semanas e 4 dias a 31 semanas = 7 meses de gravidez
de 31 semanas a 35 semanas meia = 8 meses de gravidez
de 35 semanas e meia a 40 semanas = 9 meses gravidez

Já de acordo com o gravidômetro que baixei e com a DUM, eu estou ainda com 6 (no caso, só irei fazer 7 dia 01/01/2010):

1 mês :2/7/2009 - 4 semanas e 2 dias.
2 meses :2/8/2009 - 8 semanas e 4 dias.
3 meses :1/9/2009 - 13 semanas
4 meses :2/10/2009 - 17 semanas e 2 dias.
5 meses :1/11/2009 - 21 semanas e 5 dias.
6 meses :1/12/2009 - 26 semanas
7 meses :1/1/2010 - 30 semanas e 2 dias.
8 meses :31/1/2010 - 34 semanas e 5 dias.
9 meses :3/3/2010 - 39 semanas
Data Provável do Nascimento :9/3/2010

E há ainda os mais "descomplicadores" que fazem a seguinte conta:

Se em 1 mês, temos 4 semanas...você pega as 28 semanas e divide por 4... que terá como resultado 7...concluindo, você está com 7 meses de gravidez.

Nesse último caso temos a questão que alguns meses tem 5 semanas né?

Enfim, o fato é que como há probabilidade da gestação ser encerrada duas semanas antes ou duas depois da data prevista ( e eu quero esperar o Miguel "querer" nascer, não irei "marcar" o parto), escolhi a data da minha última menstruação pra fazer essa contagem. Se ela foi dia 02/06, então dia 02/07 eu fiz um mês, 02/08 eu fiz dois, e assim por diante...é a contagem do meu "gravidômetro" e o da minha GO (com uma diferença de uns dias). Portanto, ainda fico com 6 meses por mais uma semana e meia, não é isso? Além do mais, já facilita minha vida, porque não aguento mais ouvir "que barriga pequena" quando digo que estou com 6, imagine se eu dissesse que estou com 7???!
(Pra quem diz isso: Miguel tá no tamanho e peso adequado pra idade gestacional, só engordei 6 kg até agora e minha barriga tem zero estrias...pronto, falei! )

Sobre os 6 (maravilhosos) meses:

Chegando a conclusão de que ainda estou com 6 meses de gestação (ainda bem, porque sempre planejei que com 7 meses o quarto do Miguel ja estaria encaminhado, a questão da maternidade resolvida e a malinha dele pronta...maaaaas ainda falta uma semana e meia pra eu me apavorar...hehe), mas prestes a completar o 7º, tenho que fazer um balanço desses dois trimestres:

* Eu não sei o que é enjôo;

* Eu não sei o que é azia;

* Eu não sei o que é inchaço;

* Eu não tive desejos malucos;

* Eu ando a pé, de ônibus e não me canso facilmente (tá...ok, ok, só um pouco);

* Eu consigo limpar todo meu apartamento ainda (com um pouco de dor nas costas depois, mas tudo bem):

* Eu ainda vejo meus pés;

* Eu não ando igual uma pata (ainda);

* Eu não sinto dores (exceto uma sensação desconfortável nas costelas, de vez em quando);

* Eu não enjooei a comida nenhuma;

* Eu não faço xixi a cada 05 minutos;

* Eu durmo a noite toda e nunca tive problemas pra achar uma posição confortável;

* Meus sapatos e roupas antigas ainda cabem (inclusive minhas calças jeans 36, que só não fecham o botão, rs);

* Eu engordei só 6 kilos em 6 meses (mas acho que agora vou ganhar beeem mais);

* Eu não sei o que são estrias e espinhas.


Conclusão: Eu sou muito abençoada! Se não fosse pela minha cabeça a todo momento me lembrando que eu estou grávida, minha barriguinha esbarrando pelas coisas (é inevitável, rs!) e pelos chutes do Miguel, juro que esqueceria que estou gestante. Além da dádiva maravilhosa que é essa fase em minha vida, eu ainda fui contemplada para não sofrer a maioria dos "efeitos colaterais" desse período. (Que fique registrado: sim, eu tenho muuuita fome, muuuuuito sono e estou muito mais chorona...). Mas caso eles apareçam daqui pra frente: estamos aqui pra isso, né?


Registros fotográficos

Por estar plena, feliz e realizada não há momento mais propício pra registrar isso. Amo fotografias e apesar de meu marido não ser nenhum profissional, ele tambem adora esses momentos e a gente se diverte enquando espera pelo filhote.

Me sinto linda como nunca, apesar de sentir saudade de me arrumar, usar salto, não ter barriga...Mas acho que não "embaranguei" tanto nesses meses (apesar de não saber mais o que é maquiagem, fazer unha e soltar o cabelo...) e mesmo que estivesse o "monstro do pântano"- como diz minha prima, estaria registrando tudo mesmo assim...

O que é tudo isso perto da recompensa que vamos receber, não é?

Segue nossa deliciosa espera pelo Miguel nesse 6º mês:



















13.12.09

Miguel em 3D

Estamos apaixonados pelo filhote. Já tem foto dele em todos os cômodos da casa. Agora um pouco dele pra vocês:


video

3.12.09

Notícias...mais boas que ruins!

Terça-feira (01/12) tive consulta com minha Ginecologista/Obstetra e saí de lá num misto de felicidade e medo. Ela olhou os exames e tá tudo ótimo (exceto o da anemia, que está no limite e provavelmente vou ter que tomar ferro - no bom sentido! rs...), conferiu a ecografia morfológica e tudo excelente, até que... Me perguntou se estava sentindo alguma dor e se estava saindo alguma secreção do meu corpo, eu falei do colostro, que não sabia o que era realmente, porque às vezes saia branco mesmo, com aparência de leite - leia-se que eu falava isso com a maior cara de felicidade,achando que ela ia dizer "parabéns, vc vai amamentar muito seu filho". Ela, por sua vez, mostrou-se preocupada e disse que isso não é bom sinal, que pode acelerar as contrações e corre risco até de um parto prematuro (e aos 6 meses é preocupante!). Gelei! Mas ela nos acalmou e disse que passaria um remédio chamado UTROGESTAN, que é basicamente o hormônio progesterona, indicado pra esses e outros casos como descolamento da placenta, "implantação" do embrião no primeiro trimestre, etc. Pode ser usado via oral ou vaginal e vamos ver como reagimos no próximo mês. Agora entendo algumas cólicas (rápidas porém doloridas) que sentia e minha barriga dura demais em alguns momentos (caso esse fato se repita fui ordenada a ligar pra ela imediatamente!).

Essa era a parte chata.


A parte boa é que conversamos sobre o parto e ela foi super franca e honesta. Em nenhum momento tentou me induzir a uma cesariana, ao contrário, mostrou-se aberta ao Parto Normal, desde que haja condições para isso. Aliás, que é o meu pensamento também. Jamais iria forçar um PN se não houvesse condições, por mais que eu deseje que meu filho nasça de maneira natural. Na ecografia morofológica o Miguel estava sentado, o que já impossibiltaria o PN se ele não mudasse de posição (eu sei que existem médicos que fazem parto normal mesmo com o bebê nessa posição, mas não sei se eu arriscaria...e nem ela!), mas depois ela constatou que já havia mudado...estava de cabeça pra baixo. Ê garoto esperto! Isso mesmo filho, fica assim até março, rs...!
Outra questão que minha médica ressaltou foi sobre o peso do bebê : acima de 3,5 kg já dificultaria um pouco, por isso mandou eu maneirar na alimentação (ainda mais porque engordei 2,300 kg em um mês) e pela última ecografia não-oficial (no dia em que passei um pouco mal, senti a barriga dura demais e o Miguel não mexia há quase 1 dia e meio fizemos uma, às pressas), com 25 semanas, ele já tava com 34 cm e 1 Kg (bem gordinho!rs...).
No mais, está tudo se encaminhando...Provavelmente iremos pagar o parto mesmo,é muito mais humanizado vc parir com a profissional que te acompanhou a gestação inteira né? Além do que, confio muito nela.

É isso.


"Barriguinha" de 25 semanas (foto de uma semana atrás)

30.11.09

Porque mãe é mãe!

É engraçado como algumas coisas que ouvimos durante a vida inteira e nem damos importância, de repente passam a fazer sentido. Quando a gente é adolescente ou jovem (me senti uma velha agora) e quer tudo e agora, ouvimos alguns sonoros “não’s” de nossos pais. Geralmente, e no meu caso, do meu pai eu ouvia “não é não e enquanto você morar debaixo do meu teto vai ser assim: eu mando e você obedece”, mas já da minha mãe eu ouvia uma série de justificativas pra aquele não, ás vezes tão sofrido, mas necessário. Minha mãe sempre falava: “no dia que você tiver filhos, vai entender que isso é para o seu bem”. Mãe é uma coisa diferente mesmo. Por mais que seja apaixonada pelo meu pai, que tenha ele como meu ídolo de infância e que ainda hoje continuo o admirando como tal, por minha mãe eu tenho uma ligação quase espiritual, umbilical eu diria. Essa frase, que tanto ouvi começa a virar realidade. É tão cíclico viver. Só quando, de fato somos mães é que passamos a entender a nossa. Estranho é ainda o fato de ser filha e também já ser mãe (sim, porque não precisamos parir pra sermos mães).É como se de repente nos tornássemos elas, nossas mães, com toda força, amor e defeito que elas têm, mas ao mesmo tempo ainda sermos indefesas e pequenas, do tamanho que certo que cabe no colo quentinho delas. Eu tenho muito mais que um exemplo pra seguir, tenho um ser inatingível de ser alcançado como modelo, alguém que nem nas minhas melhores expectativas sei que vou conseguir ser, mas sem me sentir nem um pouco frustrada por isso, porque afinal nunca tive a pretensão de ser perfeita. Algumas coisas devo admitir não descobri agora, mas é que quando nos deparamos com a responsabilidade de educar e amar um filho pro resto da vida é que paramos pra pensar como devemos dar valor nessas mulheres que nos fizeram tão forte a ponto de hoje também conseguirmos ser um pouco delas, um pouco mãe. A minha já passou uma noite acordada no sofá chorando porque eu insistia num namoro que só me fazia sofrer, mas me deu – escondido- o celular confiscado pelo meu pai pra ligar pra esse cara porque percebeu que eu precisava descobrir sozinha que estava no caminho errado. Nunca deixou um aniversário meu passar em branco porque sabe da importância disso pra mim. Já conversou com meu marido (escondido de mim), quando ainda namorávamos pra pedir pra ele não me fazer sofrer. Minha mãe quis me poupar de todo sofrimento do mundo, mesmo absorvendo isso pra ela e ao mesmo tempo me ensinou e me preparou pra vida, me ensinando, junto com meu pai que temos que lutar pelas nossas coisas, como quando só consegui 50% de bolsa na faculdade e tive que correr atrás do resto. Agora que vou me formar com um ano de atraso – conseqüência de dois semestres em que eles só pagaram os créditos obrigatórios- me vejo como uma mulher muito mais realizada, cheia de orgulho por ter bancado o curso dos meus sonhos com meu próprio esforço. Pra além daquelas definições clichês da palavra “mãe”, acho que hoje entendo seu verdadeiro significado. Vai ver ser mãe é isso, é amar sem sufocar, proteger sem fragilizar e corrigir sem machucar.É ter um bebê frágil nos braços num instante e conseguir transformá-lo anos depois num ser humano feliz, amado e forte o suficiente pra sobreviver sem você. Embora eu morra de medo de perder minha mãe (meus pais) e querer que ela viva 101 anos, eu sei que agora eu posso sozinha e mais ainda, que tenho a minha missão agora, a missão de que meu filho possa se sentir como eu me senti a vida inteira e a de que um dia ele possa olhar pra mim e pensar como eu penso hoje “não existe mãe como a minha”. Agora, cheia de medos particulares de uma mãe de primeira viagem, não consigo ainda vislumbrar esse futuro, mas assim como aquela frase, um dia vai ter sentido e quem sabe, até virar realidade.
Minha mãe grávida de mim, com quase 7 meses de gestação
Aos 26 anos e já com três filhas (eu na barriga ainda)

Hoje, nós duas mães!

23.11.09

25!

Amanhã completo 25 semanas de uma vida nova (literalmente), de sorrisos bobos, de novos planos...25 semanas que a nossa vida mudou completamente. Deveria postar amanhã, que é a data certa e que entro finalmente (mas não oficialmente, segundo meu gravidômetro) no 6º mês da gestação (caramba!) mas não aguentei e quis escrever logo hoje.
Hoje, que o Miguel acordou tão serelepe! Toda noite e manhã é uma festa em nosso quarto. Acho que ele sabe quando o papai tá por perto (que é basicamente nesses horários) e resolve fazer estripulias na "barriguinha" aqui. Preciso filmar a carinha do Heitor quando sente ele mexer (agora é diariamente, rs) e brinca de tentar adivinhar o que é que ele tá sentindo: se é o pézinho, a cabeça, o bumbum... é lindo!

Lembro da minha ansiedade em sentir mexer, mas nem de longe esperava que fosse tão bom! Lembro também que pensava que os 9 meses da gravidez seria os mais longos das nossas vidas e para nossa surpresa (e pra corroborar com o que os mais experientes diziam), estão voando esses meses. Jajá é março e o Miguel tá aqui com a gente, do lado de fora do "casulo".


E agora tô até com medo de não dar tempo de preparar tudo (exagerada, será?rs...) pra chegada do nosso filhote. Ainda bem que essa semana é a última na faculdade e o Heitor se forma agora, daí podemos organizar melhor nossa vida pra recebê-lo.

Em dezembro (como se dezembro estivesse loooonge, rs) começamos a ver as coisas pro quartinho dele, que já decidimos que não vai ter tema (fundo do mar, safári, carrinhos, etc) e que vai ser azul e branco. Pro enxoval, acreditem, falta pouca coisa...só as básicas, rs! Miguelzinho já ganhou tanta coisa, mas tanta coisa que o guarda-roupa embutido que tem em seu quarto, já está abarrotado...precisamos de mais espaço! (Aliás, é delicioso isso, saber que ele já tem o espaço dele...constantemente falamos por exemplo:"Heitor, cadê tal coisa?" "Tá no quarto do Miguel"... ).

Por enquanto colocamos metade das coisas em ordem...tá tudo no cabide direitinho e dentro das gavetas (claro que depois vamos lavr e passar tudo). Os objetos do quarto que ganhamos da minha mãe, estão devidamente ensacados e guardados. Aos poucos as coisas se ajeitam!











A questão do parto/maternidade ainda está pendendente, já pesquisamos alguns preços e pra nosso espanto, não achamos tão caro assim um parto em rede particular...quero muito seja normal, por isso estou lendo muito sobre o assunto e dependendo, vou para o hospital público sem problemas. Na terça que vem temos mais uma consulta com nossa GO e conversaremos sobre isso, quero ouvir a opnião dela e caso ela seja "cesarista", daquelas que acham que uma "cesárea desnecessárea" é melhor pra todos, caio fora sem pestanejar. Não é recomendável trocar de medíco a essa altura do campeonato, mas caso seja necessário, "antes tarde do que nunca".
Ainda dá tempo!

No mais é a vida acontecendo e a gente cada dias mais apaixonados por ela...


18.11.09

5 meses e a evolução da barriga...

Tô adorando isso! Pensei que minha barriga não tinha crescido quase nada do 4º pro 5º mês, mas olha só:


E a felicidade e ansiedade parece que crescem junto com ela...

10.11.09

23 semanas e ecografia morfológica

Antes de ontem fizemos a famosa (e importante) ecografia morfológica. Eu estava completando exatas 23 semanas de gestação ( o ideal é que essa ecografia seja feita entre 20-24 semanas, que é o período em que se observa melhor as malformações fetais - caso elas existam) e tem de 45% a 75% de "eficácia" se feita no período certo.

Chegamos na salinha e quando a médica colocou o aparelhinho (meu sonho de consumo!rs) o Miguel foi logo abrindo as perninhas. Acho que ele pensou que alguém ainda tinha dúvidas de sua masculinidade, hehe. Apesar de muito esperto (ele tava segurando o pezinho em cima da cabeça em uma hora e na outra chupando o cordão umbilical), mostrou-se bem prestativo com a GO. Segundo ela, ele foi um "bom menino", o único nenem do dia que estava em posição boa para medir e conferir tudo.

E está tudo ok, graças à Deus. Meu Miguelzinho tá e é perfeito!Ele tá com 26 cm e 615 gramas. Deu pra ver ele perfeitamente de perfil e não sei se é corujisse minha, mas ele é LINDO! Narizinho empinadinho e a boquinha bem carnudinha (puxou pra mamãe aqui).
Saímos de lá, eu e Heitor repetindo feito bobos: "Como nosso filho é bonito!", rs.

Queria postar o vídeo inteiro da eco, mas o DVD não tá rodando - to indignada. Sobrou só uma fotinha que eu scaneei e que tá com pouca qualidade. Mas enfim, dá pra ver alguma coisa...

Como disse a Dany, mamãe do Alberto, talvez vocês não consigam ver nada, além de uns borrões, mas eu vejo um bebê lindo, muito lindo, o meu Miguel:


8.11.09

Wedding Day!

Casados!



Agora o Miguel tem pai e mae oficialmente casados e abençoados! Nossa espera é só por ele agora...
Jajá posto notícias.

26.10.09

BBB (Big Brother Baby)

Fuçando na internet, achei o site mais incrível da história dos bebês. Simplesmente um "reality show" dentro do útero. Nesse site é mostrado o desenvolvimento de um bebê, desde a concepção. O "protagonista" foi monitadorado 24 horas por dia, durante os 9 meses de gestação. É possível ver todo seu crescimento, movimentos, reações em todas as semanas, com vídeo, imagem em 4d e legenda explicativa.


Simplesmente incrível!




Clique aqui para ver.

21.10.09

20 semanas...e só faltam mais 20!

Hoje queria postar o texto que estou escrevendo sobre o parto normal (e as "cesáreas desnecessárias"), mas como tudo na minha vida atualmente, ele está pela metade. Com essa correria de casamento, apartamento, chá de panela, consultas não tenho tido muito tempo para organizar meus pensamentos e minha vida.

Mas enfim, vim falar de outra coisa que também está pela metade: a espera! Isso mesmo, ontem completei exatas 20 semanas e teoricamente (se o Miguel nascer de 40 semanas) estamos na metade da "viagem". Cada dia fica mais evidente e aparente meu estado interessantíssimo. A barriga tá grandinha, sinto cada vez mais os "sintomas" da gestação (atualmente uma dor massacrante na costela e muita dor nas costas) e o mais importante e emocionante: sinto cada dia mais o Miguel mexendo. De leves tremores iniciais que sentia, passou a ser um verdadeiro terremoto na minha barriga, rs. Sábado passado, enquanto eu e o pai dele assístiamos o treino da F1 no "nosso" apêzinho em Caldas Novas (GO), o Miguel resolveu dar o ar de sua graça visivelmente. Parecia vibrar a cada volta do Rubinho...rs! Até que eu pedi pro Heitor colocar a mão na minha barriga, indiquei onde nosso filhote estava e de repente: "ele mexeu! eu senti". Nem precisa dizer que ficamos todos bobos né? Primeira vez que alguém que não fosse eu, sentiu o Miguelzinho de verdade, e nada mais justo que o "escolhido" fosse o pai dele, em homenagem ao Rubinho, claro! (Ainda bem que não assisti a corrida no dia seguinte, senão seria a grande primeira decepção do Miguel...hehe).

Fora essas "mexidas", nada mais de Miguel. Já faz um mês da última eco e a próxima será a morofológica (não vejo a hora).Hoje era pra ter tido mais uma consulta, mas minha médica está doente e ficou pra quarta que vem. Uma pena, porque queria ter ouvido o coraçãozinho dele e tirar algumas milhares de dúvidas com ela. Esperar né? Afinal, é só isso que grávida sabe fazer mesmo (e bem!).

Agora,um pouco do desenvolvimento do Miguel nessa 20º semana:




Seu bebê: Todo o seu corpo está agora coberto por uma substância branca e oleosa. É a vernix caseosa, que entrou em cena para proteger sua pele do líquido amniótico. Pudera. Ficar mergulhado ali tanto tempo poderia causar irritações na frágil pele do pequeno. Essa substância, que é muito escorregadia, também vai facilitar a descida do bebê, no momento em que ele se encaixa na pelve, lá no fim da gestação. A essa altura, ele já pesa 260 gramas e mede cerca de 16 centímetros.




Fonte: http://www.bebe.com.br/

15.10.09

Um garoto que como eu...






Amará o Corinthians, política, movimentos Sociais e, claro, a mãe dele, rs!



Sem medo de me decepcionar e ter alguma desilusão, já vislumbro meu Miguel corintiano, super engajado na política, no movimento estudantil, no partido e defendendo a liberdade e os direitos humanos acima de tudo, ou seja, um cidadão pleno.
Vocês podem estar agora pensando: "Não da para prever isso, ele terá opinião própria". Com certeza terá personalidade e opinião, mas enquanto isso não acontece, vou moldá-lo a minha maneira (e porque não?). Tenho plena convicção que a Marília não vai fazer muitas objeções sobre essas questões - tirando o time, única coisa que não é consenso entre mim e ela.


A "operação Corinthians" já começou: ele já tem uma roupinha do timão que eu dei e que usará já no primeiro dia de nascido, junto com as pantufas que a Ká mandou de SP. Mais pra frente, usará um mantinho sagrado que a minha irmã comprou para ele. Creio que em relação a isso, a estratégia e os parceiros para orientá-lo a oPTar por um time do povo (coringão) já estão bem encaminhadas e tudo muito bem planejado. Vem ai mais um "louquinho" para o "bando de loucos" corintiano, e como disse meu companheiro Bruninho de Salvador "a fiel só crescendo" rs.


Em relação à política e aos movimentos sociais, conto com a ajuda das nossas "cumadis" Lis e Sara e também com nossos companheiros de luta do DCE, do MEC e com a minha história e a do avô dele que foi um exímio militante de esquerda. Ultimamente descobri que até uma protoforma do MST ele comandou aqui em Brasília, ou seja, ser militante está no DNA, é coisa de sangue, hehehe. Nesse sentido, estou esperando uma roupinha vermelha com o símbolo do MST ou com uma estrelinha do partido para tirar várias fotos... hauahua.


Por isso tudo, amar a mamãe dele será fácil, porque tirando o time que ela torce, ela é muito militante, tem uma consciência de classe fantástica. Mais do que isso, ela já cuida muito do Miguel antes mesmo dele nascer. Tirando o fato de não conseguir largar os salgadinhos, ela conversa com a nossa cria, dorme direitinho, toma todos as vitaminas, canta todas as noites para ele e segue todas as orientações da "nossa" obstetra. Por falar nisso, nossa próxima ecografia será uma com o nome de análise gramatical, o exame morfológico. Ela vai nos mostrar através de uma análise minuciosa e super potente, como está o desenvolvimento do nosso Miguel. Estou muito ansioso e preocupado, e torcendo para que tudo esteja bem e que possa sair aliviado dessa ultra-sonografia em breve.

Agora estamos resolvendo os últimos detalhes do casamento. Para falar a verdade, estamos é muita pretensão minha, porque a Marília já resolveu quase tudo. Só esta faltando pequenos detalhes como os nossos sapatos, rs. Mas o que está me atormentando mesmo é o nosso aluguel que está uma verdadeira novela mexicana. Muita burocracia e exigências descabidas como, por exemplo, fiadores com seus familiares com o "nome limpo" até a 13ª geração, rs.

Bom gente é isso, paro por aqui, mas podem ter certeza que nós três não iremos morar no meio da rua, tudo será resolvido e para os "secadores" de plantão : podem tirar o cavalinho da chuva. Meu Miguel será de esquerda e Corinthiano. Nascido em casa uma linda e no ano do centenário! "É nois na fita mano".

11.10.09

4 meses!

Faltam, segundo meu gravidômetro, 21 semanas e 02 dias para o nascimento do Miguel, isso se o bebê cumprisse essa previsão britânicamente, rs. Mas sabemos que não é bem assim. Ainda mais no meu caso que espero (muito) ter um parto normal (prometo que escrevo sobre isso!).
Olhando a evolução da barriga, percebe-se que do 3º mês para o4º não cresceu tanto assim, mas pra mim que sinto o peso dela, já tá fazendo muita diferença. Fora que aos três meses, minha barriga acordava "murchinha" e no decorrer do dia ela ia ficando maior e mais dura - fato que é completamente normal, por causa da retenção de líquidos e etc - e agora ela já e "grandinha" do começo ao fim do dia.






Muitas pessoas ainda me olham torto na fila preferencial do banco, um dias desses fui pagar uma conta e na hora do atendimento o rapaz perguntou "a senhora tem alguma deficiência?" e eu respondi "não senhor, tô gestante" e ele me atendeu meio a contra-gosto (isso porque da onde ele senta só se vê o rosto das pessoas...ele queria o quê, que minhas bochechas estivessem maiores que minha barriga pra ele reconhecer que estou grávida?). Mas em compensação, antes de completar quatro meses uma moça se levantou e me deu lugar no metrô...nunca me senti tão feliz! Até então minha barriga era percebida por familiares e amigos e naquela hora vi que de fato minha gravidez estava aparente. Que orgulho! Quem já esteve grávida sabe que o maior desejo de uma barrigudinha é ficar barrigudinha, rs e não há nada mais decepcionador que ouvir "nossa, você está grávida?Nem parece...". Mesmo com essa barriga que vocês veem acima, ainda escuto barbaridades como "tem certeza que você está grávida? Não tem barriga nenhuma. Esse menino deve nascer muito pequeno!". Respiro fundo, conto até mil e dou um sorriso amarelo (mesmo que minha vontade seja dizer "não, não estou não...inventei que estou grávida só pra chamar atenção"!). Fora o "nossa, você é tão magrinha, não engordou nada!", ai respondo com um sorriso de verdade no rosto: "pois é né, não sei quem inventou que grávida precisa ser gorda!"...tô muito feliz com meus 04 kilos a mais até aqui (mais recomendado impossível, engordei 01 kg por mês) e minha barriguinha discreta e perfeitinha.

Vi a Fernanda Rodrigues, atriz que também está grávida, dizer no Twitter que queria fazer uma música, "minha barriga e eu", de tanto apego que ela tem à sua barriga. Nem preciso dizer que sinto o mesmo né?


30.9.09

É o Miguel! É o Miguel!

Meu filho, nosso filho, não é mais nenem, bebê ou ele (ela).
Tem nome, sobrenome e identidade. Aliás, por falar em identidade, sabiam que por volta das 14 semanas o bebê já tem impressão digital? Pois é, incrível.
Nosso Miguel agora já é chamado pelo nome. E até já dá umas mexidinhas quando a mamãe pede.
Miguel foi o único nome em que eu e o Heitor não precisamos discutir (ou tirar na sorte!rs) pra decidir. Ele tinha algumas opções pra menino e eu outras. Até que um dia eu falei : "eu gosto de Miguel" e ele "Miguel? Eu acho lindo". Pronto. Miguel.
Olhando o significado, nos apaixonamos mais ainda. A priori, já sabíamos que é um nome biblíco, nome de um arcanjo e que toda terminação "EL" na Bíblia quer dizer DEUS.

Mas olha o que encontramos:

Miguel : "Aquele que é igual a Deus", "Significa 'quem é como Deus?' ", " Ninguém é como Deus".

"O significado do nome Miguel é motivo de debate. A maioria das denominações cristãs entendem que o nome deverá ser traduzido em forma inquisitiva, tal como "Quem é como Deus?"[1] ou "Quem é semelhante a Deus?"[2] . Outros defendem que seja uma afirmação: "Aquele que é como Deus", argumentando que o sufixo "el", que significa "Deus", é usado em outros nomes bíblicos em forma de afirmação, tal como em Daniel ("Meu juiz é Deus"), Emanuel ("Connosco está Deus"), Ezequiel ("A força de Deus"), Samuel ("Nome de Deus") ou Gamaliel ("Recompensa de Deus"). Esta última interpretação é, segundo distintos peritos, tal como se refere mais acima, posta em causa pela própria Bíblia, quando a mesma nega que haja quem seja como Deus (cf., por exemplo, Salmo 35:10; 89:8), donde, pela própria configuração do nome "Miguel", o mais certo é que o mesmo deva ser traduzido como sendo uma questão."

Bom, sabemos e cremos que não há ninguém como nosso Deus, por isso, entendemos que o significado em forma de questionamento ou até mesmo aquela afirmando que ninguém é como Deus são as corretas e principalmente, é a que escolhemos pra ser o nome do nosso filhote. A cada vez que se pronuncia o nome Miguel estão afirmando que não ninguém como Deus, sendo ele (nosso Miguel) uma forma de agradecer e mostrar ao mundo que só DEUS É DEUS.
Além do mais, na Bíblia, Miguel é uma espécie de "lider" espiritual, sendo ele o líder de "anjos fiéis".

"Houve então uma batalha no céu: Miguel e seus Anjos guerrearam contra o Dragão. O Dragão batalhou, juntamente com seus Anjos, mas foi derrotado, e não se encontrou mais um lugar para eles no céu." (Apocalipse 12:7).

O Heitor imagina e sonha que o nosso Miguel também terá muita liderança e visão de mundo, alguém que fará a diferença nesse mundo. Mas para além de expectativas, o fato é o que o Miguel existe e só poderia ser chamado de Miguel mesmo.

Agora, deixo a ecografia do dia 25/09, onde nosso filhão não deixa dúvidas de sua masculinidade, rs:

video

24.9.09

Eu já escuto os teus sinais...

Chegou silenciosamente. Sem alardes e barulhos, venceu toda a acidez, distância, pouca mobilidade,"defeito" que afirmaram que você tinha, competição e a minima possibilidade de continuar indo. Indo pra o caminho que só você sabia onde era. Não importa nada. É pra lá que você ia, tinha que ir. Você sentia que podia e queria!Chegou. Venceu. Nascia você. Sua nova casinha se tornou impermeável para seus antigos adversários. Era só com você agora. Você tinha que continuar indo... Quando todos os cromossomos iam se juntando, as células se dividindo, você ia entendendo porque tinha chegado até ali. A sua herança, muito mais do que genética, era de amor. A cada semana de milhões de revoluções silenciosas dentro de mim, você ia ficando mais forte. Pra me encontrar. Quando foi formado seu coração, o maior símbolo do amor e das emoções foi justamente quando nos encontramos pela primeira vez. Você já sabia de mim, mas eu não te conhecia ainda. Batidas fortes, ritmadas, lindas. E ninguém diria que eram apenas "batimentos cardiácos". Era a vida cantando que ela tinha começado pra mim. Era você ao som da mais linda melodia que meus ouvidos já ouviram. A gente se encontrou e já se amava tanto que se o meu coração parasse de bater, o seu também iria parar. Que cumplicidade! Fizemos um pacto silencioso que só a gente sabe, mas que talvez tenha sido observado pela pequena lágrima que escorria do meu rosto. Você e eu...como conseguimos viver tanto tempo separados? A cada dia você crescia... sempre protegido por mim, mesmo com meus muitos erros de quem ama demais, você está lá, seguro desse excesso de insegurça, medo e amor do mundo aqui fora. Você virou a razão de todos meus pensamentos, sonhos e planos, mas não te via, não ouvia seu coração todo dia e sua casinha demorou pra crescer e aparecer. Amar você era quase um ato de fé. Eu cria que estava tudo bem e assim eu esperava. Até que hoje, você, meu filho, explodiu toda sua vida em mim. Dançou na minha barriga e manifestou com seus gestos e movimentos tudo o que queria me dizer. Você mexeu, você mexeu! E eu entendi o recado: você não só apenas vive em mim, mas como veio pra me trazer a própria vida. E eu só lembrei daquela música do Alceu Valença "Eu não duvido, já escuto os teus sinais. (...) Tu vens, tu vens, eu já escuto os teus sinais..."

16.9.09

Do papai

Imaginem escrever no mesmo blog que a Marília? Não é uma tarefa fácil. Certa vez a defini como a “senhora das palavras bem postas”. Uma pessoa que não deixa brecha para críticas quando se refere à escrita.Bom, deixando a "humilhação" de lado (me sinto um analfabeto perto dela para escrever) quero focar na proposta do blog que é a de escrever para o NOSSO Miguel que está com quinze (15) semanas dentro da barriginha mais linda do mundo, a da Marília. Como falei antes, fico muito sem graça para escrever, principalmente depois do meu Baby (esse é o nosso apelidinho de casal) que manda muito bem e já falou tudo que passamos, de como foi nosso encontro (e vários desencontros) e não deixou muita coisa para mim. Também, quem mandou eu demorar tanto para aparecer por aqui. Quero começar falando que o Miguel veio para esse mundo com um propósito muito grandioso. Imaginem vocês 0,03% de espermatozóides num universo de 56 milhões. Essa foi a primeira grande luta desse menino. Enquanto todos os homens “normais” tem 56 milhões de chances de engravidar uma mulher, eu só tinha 0,03% de chances. Não sou muito bom em matemática, mas estimo que isso de em torno de 156 mil espermatozóides. Isso porque tenho varicocele (procurem num Atlas médico o que é), 72% dos meus espermatozóides eram deformados, não possuíam cabeça ou cauda, 27% já saiam sem vida e 0,97 com velocidade mórbida ou reduzida, dessa forma sobrando apenas 0,03% de espermatozóides “sadios” para a fecundação. Por tudo que falei no parágrafo anterior, creio que nosso filho será um homem com uma missão extraordinária na terra. Por todo esforço que ele fez para entrar no óvulo da sua mamãe, só posso concluir que ele dever ser um profeta, um revolucionário, uma espécie de “salvador da pátria”.



Não sei se será negão igual ao pai ou branquinho igual a mãe, se terá um nariz empinadinho ou de batatinha, a perninha reta e gordinha ou cambota e magrela, mas uma coisa posso afirmar ELE JÁ MUDOU MINHA VIDA. Desde que fizemos o exame e confirmamos a gravidez, parece que eu entrei em outro universo, o universo dos “grávidos” e grávidas. Para tudo quanto é canto que eu olho só vejo mulher grávida e só penso em roupinha de bebe, em carrinho com três rodas para passear com ele, e cadeirinhas invocadas do estilo banco de carro de Stock Car para andar com ele para cima e para baixo. Ah, não posso esquecer de falar aqui daquele lance tipo bolsa de canguru para levá-lo na minha barriga e tentar equilibrar o tempo que ele passou na da Marília rsrs. (O pior dessa “nova dimensão” que estou vivendo é a falta de qualidade e escassez de roupinhas bacanas para meninos. Só vejo para homem roupinha de urso. Não tenho nada contra os ursos, mas creio que eles não são as únicas opções para os meninos, além disso, esse bicho não é nem brasileiro aff). A roupinha mais legal que ele ganhou até agora, é um macacãozinho do Corinthians que eu dei e uma pantufinha, também do timão que a titia babona e a mais rock in rol dele nos mandou lá de SP. Falando nisso a Kamila (titia rock in rol) também já prometeu uma tatoo para ele quando estiver com 18 anos, e eu aprovo a idéia (espero que ele tenha bom gosto rs).Como já estou muito prolixo e meus pensamentos já estão se perdendo, quero terminar falando que estou muito ansioso pelo nascimento dessa criança. Eu sempre o esperei e Deus me abençoou colocando-o em nossas vidas nesse momento porque tem um belíssimo propósito para nós três. No mais que meu filho venha com saúde e que encha nossas vidas e de nossas famílias e amigos com muita alegria, paz e revoluções.
Papai Heitor.

13.9.09

Coisas de grávidas...


Nunca me senti tão grávida como nesses últimos dias (não, não levantaram do assento preferencial do metrô ainda pra me dar lugar, rs), mas é que os “sintomas” dessa nova etapa da minha vida nunca estiveram tão aflorados:

1) Tenho “horror “ a certas comidas, como por exemplo arroz, feijão e carne (pra quem não come salada e viveu 22 anos à base disso, imagina minha situação);

2) Não consigo tomar a bendita vitamina que minha médica passou (Natele) pela manhã...é tomar e blehhhg, vomitar.

3) Vou ao banheiro fazer xixi a cada 20 minutos;

4) Estou penando pra achar uma posição pra dormir (agora que a barriguinha começou a crescer, já incomoda pra dormir de bruços – minha posição preferida!).

5) Estou com muita dor no cocxis (nunca consegui escrever isso, rs) e nas costas ao final do dia;

6) Se eu pudesse dormiria 24 horas por dia (e não, não estou com depressão! rs)

7) Estou super sensível e choro por tudo (não que eu não fosse assim antes, mas...)


Ufa! Acho que só...essa história de ser mãe não é fácil. Deveria existir uma lei que abonasse todas as grávidas do trabalho. Reduzi minha carga horária, mas não tem adiantado quase nada. Chego em casa 14:30 h jurando que vou fazer algo produtivo e só consigo dormir e acordo mais cansada que quando fui dormir...vai entender.
Agora queria falar sobre esse último tópico. Como eu to chorona! Só não chorei no último capítulo de Caminho das Índias porque aí já seria demais..rs. Ontem tive uma crise compulsiva de choro porque queria ir para o cinema e o Heitor não. ( Ah gente, falando assim parece banal, mas era importante pra mim assistir OS NORMAIS 2! Hehe...). Quando ele falou que não tava a fim, que tava cansado, comecei meu drama...até falar que ele não me amava mais eu falei. Mas atire a primeira pedra a grávida que nunca sofreu disso! rs...
Hoje ele programou um dia super legal (e sim, assisti OS NORMAIS!) e me deixou super feliz, mas teve que viajar a trabalho agora à noite, para meu desespero. E o filho da p.., mãe, ainda me manda essa mensagem:

“ Baby, assim que chegar lá te ligo. Se acontecer algo, lembre sempre que eu te amei e não se case de novo. Também diga ao Miguel que eu sempre o amei antes mesmo dele existir e vai visitar minha mãe às vezes. Agora estou passando pelo Valparaíso e ouvi falar que a chegada está prevista para as 04:30 aff. Beijão, boa noite e até breve. Fica com Deus.”


Nem precisa dizer minha reação né? Também, ele foi muito cruel com uma grávida sensível. (E egoísta! Quando ele chegar iremos conversar sobre esse “não se case de novo”, rs!). Incrível como a ligação homem x mulher muda depois de um filho. Hoje somos uma só pessoa. Graças à Deus ele vai mudar de trabalho e não vai precisar viajar assim. E que quarta-feira chegue logo!Já tô com saudade...


- Hoje no nosso passeio aproveitamos pra ir na feira da gestante, bebê e criança e ...que decepção! Péssima! Não vi quase nada que me agradasse e as poucas coisas que vi, eram pra meninas. De menino não tinha nada. Que discriminação com o gênero masculino! rs

- Essa semana sem falta tenho que esvaziar uma gaveta do meu guarda-roupa pra guardar as coisinhas do neném (só quero chamar de Miguel quando tiver certeza...rs). Já são muitos e muitos presentes que precisam ser organizados.

- Além de presentes, tenho recebido muito carinho. Muitos virtualmente (obrigada a todo mundo que visita e comenta no blog, fico muito feliz!). Um deles me emocionou muito. É da mãe do meu cantor preferido. D. Neila, mãe do Leoni. Além do talento pra composição e música (se você por acaaaaaaso é um desatualizado musical, rs e tá se perguntando que música ele canta, além de composições novas mais lindas que tudo, foi ele que compôs a maioria e mais belas músicas do Kid Abelha, quando ele ainda integrava o grupo). Olha o que ela me escreveu:

“Marilia, como só com palavras, às vezes vazias de sentido, podemos parabenizar alguém nesta fase mais linda e quase santificada de gerar uma vida? Agasalhe em seu coração só sentimentos lindos para bem realizar esta obra de arte e amor. Todas vocês apreciam a obra literária e musical do Leoni, pois ele gesta sua obra com amor e dedicação, nela colocando seu coração, sua sensibilidade. Faça também , assim, e gestão um menino ou menininha , com um coraçãozinho cheio de amor, de vontade de viver, de ser um reflexo do seu carinho de MÃE! Vivo esperando para cumprir minha missão neste mundo terrestre , a deliciosa sensação de estreitar em meus envelhecidos braços o corpinho quente de um bebê-Bisneto! Simbólicamente serei uma Bisa deste seu filhote, já que a assumi como uma Vizinha naquela fase do concurso e suas estrelinhas derrubadas. Seja bem vindo Bisnetinho(a)! Que tenha um belo casamento e seja feliz com seu marido! Beijinhos da Bivó Neila.”

- E por falar em música. Essa semana tenho outra atividade: gravar um CD pro meu bebê. Pra ele e pra mim, na verdade. Tenho lido sobre os benefícios da música na gestação e como não vivo sem ela, vou fazer uma seleção de músicas que gosto (com ajuda do Heitor) para nós dois (eu e neném) ouvirmos . O primeiro CD dele. Tomara que fique bom!

Acho que era isso que eu tinha pra falar. O próximo post espero que seja do papai Heitor.

Beijos da mamãe do ano.

11.9.09

Da mamãe

"Nenem,

O final de semana e feriado (primeiro que passamos juntos) foi divertidissimo. Viajamos pra Goiás Velho, com a família buscapé toda. Foi ótimo! Você foi o assunto e o paparico todo. Ahhh você vai descobrir como sua família extensa materna é divertida e polêmica, mas como é sempre ótimo estar com ela.

Olha o tamanho da barriga da mamãe!

Família (quase) toda reunida

Nós relaxando na piscininha infantil


A gente se divertindo com nosso Davizinho

Papai e mamãe em uma pose brega..rs!

Sua tia-vó Sônia, seu primo Pedro e Vovó Sandra

Ontem papai e eu fomos te ver. Sim fomos fazer uma ecografia e todo dia de ecografia é uma festa pra gente! A última tinha sido há muito tempo, quando você nos deu aquele susto. Confesso que estavámos um pouco mal intencionados, queríamos queeeeem sabe assim, talvez, rs, saber se você é um menino ou uma menina. Mas só te ver já seria bom demais. Começamos a sessão: aquele gelzinho na barriga da mamãe, aquele aparelhinho (que mamãe e papai queria tanto ter um em casa pra te ver sempre e sempre...rs) e uns segundos: você apareceu na telinha. O papai a essa altura já estava chorando, pra variar, rs. E lá estava você, de pernas cruzadas (ô que deliícia) e mãozinhas na cabeça...todo folgado, rs. A médica falou : "que folga, tá achando que tá assistindo televisão...". Mas como sempre, assim que a dra. começou a passar o aparelhinho na minha barriga você começou a pular e fazer graça. Afinal neném, você faz "estripulia" quando sente que estão te vendo ou fica agitado porque não gosta dos "flashes"?O papai jura que é a segunda opção. Ele tá jurando que, além de você ter imitado a posição que ele fica quando assiste TV, também é como ele e odeia fotografias. Foram uns 15 minutos de pura alegria e que passaram muito, mas muito rápido.
Nenem, como vocè é lindo. E perfeito. E como está grande. Já tá com 16 cm e 107 gramas. É por isso que minha barriguinha tá cada vez mais aparente e mamãe tem cada vez mais orgulho dela.

Ontem também (quase) descobrimos que você é um menino, o nosso Miguel. O papai jura que viu o piu-piu (eu também acho que vi) e a médica falou que também viu, mas que não queria dar certeza. Segundo os mais experientes isso é papo de médico que não quer se comprometer e qu você é sim um meninão. Vovô, vovós, tios e tias já chamam você de Miguel. (Caso venhamos descobrir que você é uma menininha perdoa a gente, mas tudo levou a crer que não era,rs. Mas Miguel ou Manuela você já é o serzinho mais amado desse mundo, ok?). Gravamos você no DVD e o Heitor já roubou ele de mim, diz que tá vesgo de tanto te ver e rever, rs.
Lá pro começo do mês de outubro, quando você completa 04 meses, iremos fazer outra pra ter certeza de tudo e ver se tá tudo bem.
Ainda ontem também fomos ver o papai apresentar sua qualificação do projeto de Trabalho de Conclusão de Curso dele...arrebentou!A primeira do curso sobre a questão racial e da "banca" ele ouviu que seu projeto já daria uma tese de mestrado e/ou doutorado (tomara que ele não se empolgue a tanto, afinal precisamos do tempo dele né, rs?). Ele até falou da gente lá, todo bobo.
E pra encerrar a sessão notícias: papai conseguiu um aumento de salário e vai trabalhar em um lugar bem melhor; vai cuidar pra garantir o bem de todas as crianças, inclusive e principalmente você. Mamãe também mudou de lugar de trabalho, agora tá mais perto de casa e amando o que faz, o lugar e as pessoas.

Você veio pra trazer alegria e é só isso que a gente tá sentindo desde que descobrimos você!
O seu pai me prometou que escreveria sobre ontem e sobre você, vamos esperar né? rs.

Beijos,
da sua mãe".

9.9.09

Menino ou menina?

Uma das maiores ansiedades de um pai e de uma mãe de primeira viagem é saber o sexo do bebê e com a gente não foi dirente. Assim que minha família e amigos souberam da gravidez, começaram os palpites sobre o sexo do nenem. A maioria aposta que é menina e alguns insistentes de que é menino..rs. Confesso que não tenho predileção por nenhum dos dois, mas meu íntimo sempre me fez crer que espero uma mocinha. Sei lá, intuição de mãe. O Heitor sempre apostou que também fosse menina, mas de um tempo pra cá ele mudou de idéia. O fato é que minha curiosidade e ansiedade pra descobrir logo é maior que qualquer coisa...rs. Nem tanto por curiosidade, mas porque sempre converso com minha barriga e fico incomodada chamando meu filho (a) de "bebê". Penso em músicas, em pronunciar seu nome, em imaginar seu rostinho e tudo isso depende de saber disso. Acredito que a identidade de uma pessoa começa bem antes dela nascer e quero enxergar esse neném como alguém com nome, sobrenome e não mais como um embrião na minha barriga. Fui logo atrás de exames e para minha surpresa descobri a tal da "sexagem fetal" que detecta o sexo do bebê através do sangue (detecção de cromossomo x ou y na corrente sanguínea materna), com 99% de precisão a partir da 10ª semana. O que não me agradou foi o "precinho": R$ 370,00. Mas como minha curiosidade é maior que meu apego ao dinheiro (hehe) quis fazer, porém ao compartilhar essa idéia com meu noivo/futuro marido e pai/mãe, fui logo rechaçada, rs. Eles alegaram que esse dinheiro todo poderia ser usada pra coisa mais útil e que não tinha necessidade desse "desespero". Resolvi não fazer. Esperei minha próxima consulta de PN que foi no dia 28/08, quando estava como 12 semanas e para meu total desespero, minha médica recomendou que eu fizesse apenas com 16 semanas aproximadamente, que ela iria pedir outra eco apenas na próxima consulta, dali a um mês. Pronto! Pirei! Tentava não pensar nisso, mas não aguentava. Era importante pra mim. Acabei descobrindo um outro exame, recém-chegado no Brasil, o INTELLIGENDER, que detecta o sexo do bebê pela urina da mãe, com 90% de precisão. Pesquisei,pesquisei e comprei! (Dessa vez com o apoio do Heitor, rs, o que fez bem pra não me sentir culpada...rs). Primeira urina do dia, 06:30 h da manhã e eu lá, esperando os 10 minutos do teste: ele dizia que se ficasse laranjado seria menina, se verde menino. Acontece que pelo meu nervosismo ou fuleragem desse teste, a cor da minha urina foi mudando muito lentamente e após 10 minutos ela ficou mais laranjada que o normal. Logo, constatei que era menina. Liguei pro Heitor e falei : "estamos esperando uma princesinha". Após uns minutos, entretanto, a cor ficou esverdeada e não mudou mais. Não entendi mais nada e minha vontade foi processar esse laboratório nojento que confunde mães indefesas...rs. Não sei se tem a ver com o fato de eu ter esquecido de mexer o frasco inicialmente (mexi após uns dois minutos que a urina estava lá), mas deu essa pequena confusão no resultado.Pedi ajuda aos "universitários": o Heitor teve que ir na minha casa 07:00 horas da manhã dar seu veredito. Na hora que ele viu, firmemente falou: "ah rapá, é o fihão do papai" e mais alguma coisa sobre ele ser corinthiano..rs. Até queria levar o frasco pros amigos dele verem, acredita? Fiquei mais confusa que antes, mas olhando novamente o resultado (tirei até foto!rs) dá pra saber que é mesmo um MENINO. Mas o fato é que minha intuição diz que é menina e que me parece que esse teste não é tão confiável assim (ele mede a acidez da urina, se não me engano). Mas de qualquer forma, MENINO ou MENINA (se for menino, minha "intuiçaõ de mãe" é muito fajuta! rs), esse nenem será amado e recebido da mesma forma. Não é questão de gênero, é questão de amor.


Ah, antes de fazermos o teste, tínhamos decidido que para o resultado que desse, já escolheríamos o nome. Portanto, como ficou verde, se for menino será MIGUEL. Caso seja menina, temos alguns ainda pra escolher.




E aí...é ou não o Miguel?



7.9.09

O segundo mês e um grande susto!

Bom, quero muito conseguir "atualizar" o blog. Tentei construir uma ordem cronológica dos fatos, mas o que ocorre é que não estou encontrando tempo pra escrever muito durante a semana (sinto um sono que não passa...rs!) e como todo dia é uma nova descoberta acaba que as notícias chegam aqui um "pouco" atrasadas...
Mas vamos lá. Após a primeira ecografia e primeira consulta de pré-natal, a médica mandou que eu retornasse apenas depois dos resultados dos milhares de exames que ela pediu, ou seja, depois de umas três semanas. Como mãe de primeira viagem, tinha muitas dúvidas e esqueci de perguntar todas na consulta..rs. É tanto "pode-não pode" que falam pra gente, que ficamos confusas. Grávida pode tomar refrigerante? Adoçante? Fazer exercício? Pegar peso? Subir escada? Pintar o cabelo? Ter uma vida sexual normal? Enfim, fui me virando com o sr.google e com as comunidades de grávidas no orkut, mas o certo é que continuei minha rotina normalmente.
Porém no dia 21/08/2009, quando eu estava com 11 semanas, fui pra faculdade normalmente (subi escadas) e depois fomos, eu e o Heitor pra casa dele assistir um filme. Estávamos deitados no tapete, quando senti alguma coisa me incomodar. Fui ao banheiro e vi que estava sangrando. Imediatamente o Heitor viu que o tapete tinha ficado sujo de sangue, e entrou em desespero (eu que tive que acalmá-lo..rs!). Na hora, pensei que fosse normal,mas quando percebi que era uma quantidade razoável de sangue, comecei a me preocupar também. Fomos imediatamente pro hospital mais próximo (Santa Marta, que eu odiei, diga-se de passagem), mas antes liguei pra minha mãe que também se dirigiu pra lá com meu pai. Chegando lá, além de pagar carissímo pelo atendimento (isso que dá nunca ter feito plano de saúde) ainda tive que esperar e pegar fila pro atendimento, na emergência! A sorte foi que uma alma caridosa viu que eu tava desesperada e me deu seu lugar na fila. Fomos atendindos e o médico já foi tranquilizando a gente, falando que sangramente no início da gestação é relativamente normal, mas me encaminhou pra uma eco transvaginal pra garantir. Outra espera sem fim, até que fomos finalmente (mal) atendidos pra fazer a eco.
Meu coração apertou quando o médico falou que estava com dificuldades pra ouvir o coraçãozinho do nenem, mas explicou em seguida "ele não fica quieto pra eu medir os batimentos". Ufa! Meu filho (a) tava lá...fazendo minha barriga de playground, rs. Mais saudável impossível! O médico mediu o colo do útero também: 4,5 cm...não sei o que isso quer dizer, mas ele falou que era "excelente", rs! Além de medir meu bebê: 4,77 cm da cabeça ao bumbum...como cresceu. A partir daí e de algumas recomendações (tenho que me comportar agora...hehe) acho que a "ficha caiu" de verdade e tomei a consciência de que agora sou mãe e tenho de agora em diante, muitas responsabilidades e, apesar de não ter tido "culpa" nesse susto que tivemos, devo me cuidar mais, afinal carrego a jóia mais preciosa dentro de mim.
Olha minha recompensa:


1.9.09

Ser mulher, estudante, trabalhar, estar grávida e ainda querer casar...

Depois que descobri que estava grávida, minha vida literalmente virou. Pense comigo, até Junho eu era estagiária (e ganhava uma merreca, apesar de amaaaaaar o que eu fazia), estudante e tinha um namorado com quem planejava casar, assim mais pra frente. Em um mês, me torno servidora pública, mãe (grávida já é mãe tá?! rs) e "noiva".

Não é fácil trabalhar oito horas por dia, estudar de noite, ter um sono que não passa nunca e fome idem, organizar um casamento, fazer pré-natal (isso inclui ler tuuuudo sobre gravidez, gravidas, filhos), procurar uma casa pra morar e conseguir compreender assim, as voltas que o mundo faz.

Como Deus é muito perfeito, Ele só permitiu que eu engravidasse depois que passei num concurso público -na minha área, diga-se de passagem, apesar de ainda ser nível médio. (Tudo bem que ele podia ter esperado eu receber meu primeiro salário pra gastar com besteiras, mas tudo bem...rs). Agora vou ter direito a uma licença-maternidade de 06 meses, emendando com férias, dá 07 meses a mais com meu baby...uma delícia de licença! rs...
Seria também no mínimo um pouco apertado casar e viver apenas com o salário do Heitor. Casar com festa então, nem se fale.

Ah, sobre o casamento. Casar com tudo que tem direito sempre foi meu sonho e não seria a gravidez que ia me impedir disso. Só não queria casar com barrigão e nem depois que o bebê nascesse...ou seja, tinha que casar em menos de 03 meses! Lá fui eu correr atrás de tudo, decoração, buffet, vestido, salão...e acredite se quiserem, hoje, faltando menos de 02 mesmo pro casório, não falta nada, nadinha! Tudo fechado e algumas coisas até pagas.
Como conseguir essa façanha? More na rua das noivas/casamento que em uma hora você fecha todos os contratos para seu casamento..Hehe. Sempre amei morar aqui em Taguatinga, mais especificamente nessa rua, mas agora, ela nunca me foi tão útil! rs...
Pra falar que não falta nada, amanhã vamos no cartório dar entrada nos "papéis"...mas só.

A coisa mais importante é o apartamento, mas já vimos vários que gostamos, falta visitar e "escolher". Falta pouco, pouquissimo.

Como "pouca alegria é bobagem", rs...além de resolver meu casamento praticamente em um dia (com minha mãe, que foi meu braço direito...sem ela nem sei como seria), nesse período inicial de mudanças, não senti um enjoozinho sequer...nada, nada. Isso que é uma gravidez abençoada!
A única coisa que ainda tenho é um sono que não passa nunca, mas isso eu sempre tive, nem posso culpar a gravidez...rs!

Na primeira consulta que fomos, agendada pela minha irmã Mônica (a primeira oração que fizemos quando descobrimos que estávamos "grávidos", foi que essa criança fosse bem-aceita e amada em nossas famílias...só que não esperava por tanto, minha família falta me colocar no colo..rs), a médica já pediu uma ecografia. Marcamos logo em seguida, cheio de expectativas.

Confesso que quando deitei na cadeira e o médico começou (era transvaginal), pensei que ele fosse dizer : "Não minha querida, você não está grávida, foi um engano"...rs. Ainda não tinha caído a ficha e o medo tomava conta de mim. Quando ele falou "Parabéns, está grávida mesmo" eu respirei de alívio e felicidade. Pode parecer idiotice e óbvio, mas quando a gente não sente o bebê mexer (e no meu caso, que tava de 08 semanas, nem a barriga crescer), temos que ver nosso filhotinho pra ter certeza. E foi isso que aconteceu. Preocupação de mãe..rs.
Na verdade só vi uma bolinha lá se mexendo, mas sabia que era ele, meu filho (ou minha filhinha) na minha barriga. A emoção só conseguiu ser maior quando ouvimos seu coraçãozinho (que o Heitor falou que batia parecendo uma "rave", de tão forte..rs). Como pode um ser do tamanho de uma lentilha ter um coração tão orte e pulsante assim?

Foi lindo. Um dos momentos mais emocionantes da minha vida.

O Heitor falou que quer comprar aquele aparelho pra ficar ouvindo o coraçãozinho dele todo dia...rs. E por falar nele, nesse dia decidi que não vou deixá-lo assistir o parto. A criatura quase teve um infarto de emoção...parecia que tinha "mal de Parkinson" de tanto que tremia...rs.

Que pais babãos esse nenem foi arrumar viu?!








(Ecografia de 01/08/2009)

30.8.09

A grande descoberta!

Bom, já descrevi todas as etapas anteriores à gravidez, agora falta a principal: a descoberta!
Como já falei (falei?)aqui em baixo, eu e o Heitor somos namorados ainda (pensávamos em casar, mas lá pro final do ano que vem, depois que eu me formasse) e não planejávamos ter um filho agora. Como aconteceu? Simples: experimente tentar muitas vezes e não se prevenir! rs...É batata!
Brincadeiras à parte, eu sempre me preocupei com isso, mas a medida que vamos tendo uma intimidade maior com uma pessoa (que a gente ama), acabamos esquecendo de vez em quando. E a nossa história é ainda mais curiosa.
O Heitor tem um pequeno probleminha, chamado Varicocele (são "varizes" na região do escroto, onde estão alojados os testículos), que provoca alterações na quantidade e na qualidade dos espermatozóides. Assim que começamos a treinar pra ter um bebê (rs!), ele veio com essa ladainha de que "tinha dificuldades pra ter filhos" e tal, que ia ser impossível ter filhos e que por isso não precisávamos nos prevenir, coisa que não fiz, pelo menos por um bom tempo.
Até que ele começou a sentir muitas dores e após diagnóstico médico, foi constatado de fato que ele, teoricamente, só teria 0,3% de chances de ter um filho biológico. Não nos preocupamos, a única coisa que pensamos foi que quando chegasse a hora faríamos um tratamento ou teríamos um filho por meio da adoção (opção que ainda considero).
Como eu tenho mania de conspiração, sempre achei que 0,3% ainda era muita chance e não dava bobeira pra ele (que sempre quis me dar "o golpe da barriga" e ficava triste toda vez que eu mestruava! rs).
Acontece que no começo de Junho desse ano, tivemos uma briga seríssima e fizemos as pazes como se deve...rs! No mês de Junho é também meu aniversário e dia dos namorados, pense que tivemos muitas datas pra comemorar e nesse embalo acabamos nos "descuidando". Eu senti isso, tanto que fiquei aflita até minha próxima menstruação (que era pra vir no dia 03/07) e que nunca veio! hehe.
Sempre tive o ciclo muito regular e nos primeiros dias de atraso relatei pro Heitor, ao que ele disse "até parece, logo logo ela desce". Estranhei a ausência da minha "amiga", mas como meus seios estavam sensíveis e inchados (assim como ficavam antes da menstruação), pensei que ela logo viria.
15 dias de atraso e nada. Sentia minha barriga endurecendo e até pegava a mão do Heitor pra senti-la, e no dia 19/07, em pleno Congresso da Une, a gente decidiu que faria o teste de farmácia, só pra desencargo de consciencia. Como esse teste é recomendável que se faça com a primeira urina do dia e só compramos o exame na segunda-feira de tarde (20/07),somente na terça-feira (21/07) é que fizemos.
Acordei às 07:00 horas e lá estava eu, andando de um lado pro outro do banheiro, esperando os 05 minutos...mas em menos de 01 minuto, estavam lá...as duas listrinhas rosas. Eu não acreditei, embora meu íntimo já soubesse que esse seria o resultado.
O Heitor me ligou na mesma hora e quando eu disse que tinha dado positivo, em menos de dez minutos ele tava na porta da minha casa pra me levar pro trabalho (detalhe: da casa dele pra minha demora no mínimo, vinte minutos com trânsito). Eu guardei a tirinha do teste na minha carteira e ele só disse "caraca!", com a maior cara de bobo do mundo.
Fomos de Taguatinga pra Asa Norte conversando como seria o nome, o quarto, a creche...aí quando percebíamos que estavámos planejando o futuro do nosso fillho, a gente se olhava e falava "não, mas deixa a gente ter certeza. Teste de farmácia pode errar". Só deu pra gente fazer o exame de sangue no outro dia (agora não me lembro bem o porquê), no dia 22/07, acordamos cedo, eu em jejum e lá fomos nós. Lembro da atendente perguntando: "Vocês querem que dê positivo?" ao que nós respondemos juntos "o que Deus mandar".
O resultado só ficaria pronto às 16:00 horas e poderia pegá-lo pela internet. Alguém acha que eu consegui trabalhar o resto do dia? Dava todas as horas do mundo menos 16:00 h. E surpreendentemente, quando deu 16:00 h, eu não tinha coragem pra abrir o site...deixei pra ver às 17:15 h, na hora de ir embora ( e o Heitor me ligando de 05 em 05 minutos). Pensei que o resultado seria POSITIVO ou NEGATIVO, pois não, lá estavam 33304 mui/ml. ´Na tabelinha dizia que acima de 49.0 era positivo. Achei que meu teste tinha dado inconclusivo, porque meu número tava muito alto, tava com quase 07 semanas, segundo essa lógica.
Tive que pedir ajuda aos "Universitários", no caso o Heitor, (rs!), dei a senha pra ele...fui pra casa, e antes de entrar no ônibus ele me ligou : "estamos grávidos sim!".
Meu coração disparou. Era muita informação pra minha cabeça, mas algo inexplicável tomava conta de mim...já sentia amor por aquele serzinho minúsculo que estava na minha barriga. Cheguei na rodoviária do plano piloto para pegar o metrô e fui em pé, e minha vontade era chegar no homem que tava no assento preferencial e dizer:"Ei, estou grávida, você não está vendo?"...rs!
O Heitor foi me buscar na estação perto da minha casa, mas me ligava a toda hora. Quando cheguei num lugar em que o celular tinha sinal, ele falou desesperado "O que aconteceu? Por que você desligou o celular? Tá tudo bem com vocêS?". Pela primeira vez ouvia "vocês" e sentia que eu não estava sozinha nunca mais na vida.
Quando cheguei, ele estava lá com os olhos inchados de chorar e a gente só conseguia se abraçar. Ele beijou minha barriga em plena estação do metrô "Praça do Relógio" em horário de "rush" e fomos andando até o carro sem conseguir dizer uma palavra um ao outro, mas ao mesmo tempo entendendo direitinho o que estávamos vivendo: o dia mais importante da nossa vida!


Quando era só nós dois...

Bom, eu e o Heitor (papais desse bebê que já amamos tanto) nos conhecemos no primeiro dia de aula da faculdade (fazemos Serviço Social) em 2006, se não me engano no dia 06/02/2006. Lembro como se fosse hoje do primeiro olhar que trocamos e acreditem ou não, na hora que vi o Heitor de roupa social, camisa cinza, crachá do Mec - Ministério da Educação- no pescoço, enfiado no bolso (que brega, eu sei!) e o cabelinho enroladinho, com gel....eu tive certeza que nossos caminhos se cruzariam pra sempre, mas antes fiz uma ressalva : " - Se ele cortar o cabelo!"...rs!

Ele ficava a aula inteira me encarando, chegando a me deixar constrangida, mas no fundo eu gostava, já que na sala só tinha muheres (e só ele de homem, tinha que me garantir! rs). Fomos nos aproximando levemente, até que um dia nosso professora perguntou quem tinha orkut e ele levantou a mão, assim que cheguei em casa digitei "Heitor Martins" encontrei-o e para minha tristeza estava lá, o "namorando" como status de relacionamento, adicionei-o mesmo assim, mas sem expectativas de nada, apenas amizade.

Logo em seguida também conheci uma pessoa e comecei a namorar sério. Amei esse cara loucamente e fiquei com ele um ano inteiro. Nesse período só tinha 03 aulas por semana e nem sempre via o Heitor, mas ele era meu único amigo no curso e quem me socorria dos contéudos da aula que perdia via internet.

Terminei com esse meu namorado um periodo (começo de 2007) e na volta as aulas,o Heitor sentou na minha frente na sala e perguntou do nada : "Ué...tá solteira?". Quando eu respondi que sim, imediatamente ele partiu para o ataque, pediu meu telefone e começou a dar sinais que queria ser mais que meu amigo.Acabei me aproximando não só dele, mas como de suas amigas (que hoje são minhas super amigas) e formamos o "quarteto inseparável" da Católica. Foi ótimo porque estava super na "fossa" e amizades e farras são o melhor remédio pra esquecer da tristeza né? Nisso, ele começou a escrever pra mim (ele também tinha terminado com a outra lá), a me buscar no estágio, me mandar msgs, depoimentos...e eu apesar de estar adorando essa massagem no ego, ainda estava muito ligada no ex e até voltamos.

Mas já era um pouco tarde, apesar de ainda não existir o amor homem x mulher (pelo menos da minha parte), já não conseguia mais ficar sem ele. Éramos unha e carne. Odiava os defeitos dele, brigava, implicava, mas não conseguia ficar longe por muito tempo.

Meu namoro já ia de mal a pior quando fui pra um encontro da faculdade com o Heitor, que foi a gota d'água pro término. Chorei, emagreci, nem sei como sobrevivi (mas sobrevivi!) e quando quis o colo do Heitor, ele já tinha voltado com a namorada.Quantos desencontros!
Um balde de água fria. Pensei que ele ia ficar me esperando pra sempre e ele ja tava com a menina lá. Mas o meu consolo é que o namoro dele nunca foi um namoro de verdade, aliás pelo que percebia ele nunca gostou dela, ao contrário, era eu quem ele chamava pras festinhas do trabalho, pra quem deixava recados, com quem estava em todos os lugares. Confesso que me sentia meio "a outra" e acabei pulando fora uma época, chegando até a ficar com uma outra pessoa, mas também não deu muito futuro.

O fato é que sempre voltava pra ele e pra esclarecer: nessa fase (mais de um ano que ja éramos grudados) não tinhamos trocado nenhum beijinho sequer (apesar de todo mundo na faculdade ter certeza que a gente namorava). Até que...no dia 30/09/2007 fomos juntos (mais uma amiga) para o show do O TEATRO MÁGICO na Unb e beijei ele, ao som de "O anjo mais velho" (música que ele já havia mandado pra mim).

Clima de romance foi pros ares: que beijo ruim!!! rs...Tentei outra vez, mas nada da tal da "química" rolar...
Na volta pra casa, ele já veio cheio de expectativas, perguntando como ia ser e eu fui curta e grossa: "Não tem nada, foi só um beijo e acabou por aqui, foi um erro, volta pra sua namorada". Ele murchou, mas acho que foi a decisão mais acertada...nao queria acabar com o namoro de ninguém.
Me penitenciei por muito tempo, até descobrir que a namorada dele era meio "pertubada", fazia escandalos, prendia ele, fazia chantagem (não que isso seja justificável para uma "traição"), mas enfim...
Águas rolaram, fiquei com ele mais uma vez (o beijo já tinha melhorado, rs!) e decidi que só iria dar uma chance pra ele quando ele tivesse livre e desimpedido.
Apenas em abril de 2008, quando fomos para Cuiabá em um encontrodo Serviço Social é que ficamos e conversamos sobre a gente. A partir daí não parou mais (quer dizer, terminamos umas 10 vezes desde então, mas nunca durava muito tempo..rs!).

Enfrentamos muitas barras juntos (como o fantasma da ex dele) e outras cositas mais, mas após muitas brigas (temos o temperamento muito igual e muito diferente ao mesmo tempo) e conversas sem fim, a gente percebia que nao dava mais pra separar a gente...que a gente se amava.
Tudo foi muito intenso. Das brigas às pazes que fazíamos. Em um ano, viajamos juntos mais de 13 vezes (e viva o Movimento Estudantil! rs), estivemos nos mesmos espaços politicos, crescemos e amadurecemos juntos... o que me dá muito orgulho da nossa relação.
No fundo eu sabia que iria ficar com o Heitor pela cumplicidade que a gente tem (independente das diferenças)....porque somos amigos antes de qualquer coisa.

Nossa história dá um livro né? Tantos encontros e desencontros...quase dois anos até a gente perceber que não vive sem o outro mais! Já era...ele me venceu pelo cansaço! rs
Um exemplo de brasileiro que não desiste nunca! hehehe
Mas é isso...não somos muito tradicionais em declarações, carinhos...mas não precisamos de palavras pra saber do que sentimos e do que vivemos.

Abaixo, uma foto nossa...uma das minhas preferidas:











"Só enquanto eu respirar..."


Marília

Agora somos três!


Primeiro post. O porque do blog? Bom, primeiro porque eu simplesmente amooooo escrever. Quando escrevo é como se eu tivesse no divã...rs! Desde os meus 10 anos de idade que tenho diário/agenda, onde relatava tudo... guardo datas, aniversários, desabafos, declarações (rs!) desde essa época. Não consigo imaginar minha vida sem meu proprio relato sobre ela...pode parecer besteira mas, preciso ler e reler minhas percepções sobre as coisas pra me conhecer mais e ser feliz. Viver sem deixar nada escrito pra mim não é viver...quem sabe um dia eu ainda escrevo uma auto-biografia,rs. Mas voltando ao assunto; resolvi criar esse blog pra registrar o momento único e maravilhoso que estou vivendo: ESTOU GRÁVIDA!!!
Se eu já gostava de registrar minha vida quando era só eu, imagina agora que tem dois corações pulsando em mim?! Alías, não estou grávida, ESTAMOS GRÁVIDOS, porque em breve serei "uma só carne" com meu atual namorado, Heitor. Como o título do blog sugere, pretendo compartilhar com ele a senha e a manutenção desse espaço, afinal ele também está esperando um bebê né? (além de escrever muito bem!).
Já tinha um blog, aliás já tive outros dois, onde escrevia por escrever, de sensações, sentimentos, desejos...um eu excluí (às vezes fico meio receosa com esse excesso de exposição na internet), o outro tá lá, quem sabe um dia eu exclua ou releia, por enquanto quero me dedicar a essa minha nova fase de vida, que diga-se de passagem é a melhor de todas, sem dúvida! Nunca esperar foi tão bom.
Tô meio perdida, nem sei por onde começar...é tanta coisa pra falar...!Estou com 12 semanas de gestação e há 05 (quando eu descobri) minha vida deu um giro de 180º..rs! Mas como agora só leio sites, revistas e blogs de gravidez/gravidas, creio que terei assunto suficiente pra uma vida toda! hehe
Como esse espaço servirá pra registrar minha gestação pro meu bebê daqui uns anos, vou escrever de maneira cronológica e sem fins cientificos...rs (afinal sou mãe de primeira viagem, preciso é de orientações...hehe!) e também sem objetivo de ser um site conhecido, comentado, etc...!
Meu filho (a) isso aqui é pra você! Acho que quando você chegar na fase de ler, terá outros blogs e sites muitos mais modernos, mas enfim...era o que tinha na época tá? rs!
Pra começar do começo (e imitando a Fê no blog dela http://www.gravidissima.wordpress.com/) vou iniciar falando da minha história com seu pai. Mas isso já é papo pra outro post...